.

.

Sementes De Bambu Bambusa Arundinacea 1.6 - 4

Sementes De Bambu Bambusa Arundinacea

Sementes De Bambu Bambusa Arundinacea

Preço por pacote de 5 sementes.

Bambú muito popular , que consegue alcançar os 30 m de altura e 15-18cm diâmetro no seu habitat.De modo geral, o bambu não é uma planta exigente em termos de condições de solo. Entretanto, seu maior

1,60 €
Sementes em pacote :
  • 5
Quantidade

Este produto foi vendido

74
Vezes

Sementes De Bambu Bambusa Arundinacea

Preço por pacote de 5 sementes.

Bambú muito popular , que consegue alcançar os 30 m de altura e 15-18cm diâmetro no seu habitat.

De modo geral, o bambu não é uma planta exigente em termos de condições de solo. Entretanto, seu maior desenvolvimento tem sido observado em terrenos arenosos com elevado teor de matéria orgânica e com boa drenagem. Em solos de brejo com encharcamento permanente o bambu não se desenvolve. O bambu tolera solos ácidos com baixa fertilidade, como se pode observar em plantações de Bambusa vulgaris nos estados de Pernambuco e Maranhão. Em povoamentos naturais de bambu, certas espécies ocupam determinados tipos de solo. Por exemplo, na Índia, a espécie Bambusa arundinacea ocupa os solos mais úmidos, enquanto que, nos solos mais secos, se desenvolve o Dendrocalamus strictus. No Brasil, a maioria das espécies nativas sobrevive em associação com a floresta nativa. De modo geral, o bambu é uma espécie vegetal que é tolerante ao sombreamento, sendo possível seu desenvolvimento mesmo à sombra de outras espécies.

Teoricamente, o nível de precipitação pluviométrica em que os bambus se desenvolvem adequadamente, varia de 1200 a 4.000 mm/ano. Determinadas espécies de bambu, como Dendrocalamus strictus, toleram precipitações mínimas de até 762 mm, conforme observou Deogun (1936).  Em decorrência de seu rápido desenvolvimente vegetativo, o bambu é um grande consumidor de água. Em contrapartida, é um grande armazenador de água, principalmente pela espessa camada de folhas que acumula sobre o solo, evitando, desse modo, a perda de água por evaporação devido à ação do sol e do vento.

Quanto à temperatura, a maioria das espécies de bambu se desenvolve numa faixa entre 9 a 47 oC. Existem espécies, como as dos gêneros Arundinaria e Chusquea, que se desenvolvem em regiões onde neve e geadas são comuns. As espécies tropicais, que formam touceiras, são menos resistentes ao frio do que as espécies alastrantes, que não formam touceiras.

Tipos de rizoma

O bambu, diferentemente das espécies arbóreas, é uma planta rizomatosa, constituída por três estruturas básicas: uma aérea, representada pelos colmos, e duas subterrâneas, representadas pelas raízes e rizomas. O rizoma é o elemento básico da touceira, responsável pela propagação e interligação dos colmos. Assim como os colmos e ramos, os rizomas são estruturas axiais segmentadas, constituídas alternadamente por nós e internós. Os rizomas são caracterizados pela presença de raízes ou primórdios de raízes, bainhas e gemas laterais que dão origem a novos colmos ou rizomas.

Quanto à forma de desenvolvimento dos rizomas, no Brasil, as diferentes espécies de bambu podem ser divididas em dois grandes grupos: os de crescimento outonal que formam touceiras e os de crescimento primaveril que não formam touceiras. As espécies entouceirantes, também conhecidas como de crescimento determinado ou simpodial, são representadas pelos gêneros Bambusa, Dendrocalamus, Guadua e outros. As não entouceirantes ou alastrastantes, de crescimento indeterminado ou monopodiais, são representadas pelos gêneros: Phyllostachys, Pleioblastus, Shibatae e outros.

Algumas poucas espécies, como Chusquea fendleri, podem ser classificadas como anfipodiais, pois, apresentam os dois tipos de rizomas: o monopodial e o simpodial. O crescimento dimensional dos rizomas e, consequentemente, dos colmos, se verifica por meio das sucessivas ramificações dos rizomas, ou seja, os rizomas menores vão, sucessivamente, dando origem a rizomas maiores até atingir-se a dimensão própria da espécie.  As espécies alastrantes, que não formam touceiras, apresentam maior quantidade de rizomas por unidade de área do que as espécies entouceirantes. Segundo Ueda (1968), a quantidade de rizomas nas espécies alastrantes varia de 25 a 187 km/ha, podendo atingir 560 km/ha para as espécies do gênero Sasa.

Propagação do bambu

A propagação assexuada ou por via vegetativa, apesar de certas limitações, é a mais utilizada para a multiplicação do bambu. Vários são os métodos de propagação vegetativa, tanto para as espécies alastrantes como entouceirantes. Cabe ressaltar que cada espécie responde melhor a um determinado método. A principal vantagem da propagação vegetativa é a obtenção de plantas clonais com uniformidade genética fenotípica.

As mudas de bambu obtidas por via vegetativa devem apresentar três estruturas básicas: parte aérea, raízes e rizomas. A presença dos rizomas, normalmente é caracterizada por brotações vigorosas que emergem do solo. Basicamente, a propagação vegetativa do bambu pode ser obtida pelos seguintes métodos:

Transplante total

Neste caso, promove-se o desmembramento das touceiras, retirando-se propágulos completos, constituídos por colmos, rizomas e raízes. É um método indicado para espécies de baixo porte ou para touceiras em desenvolvimento com colmos pequenos. É um método bastante eficiente e indicado para pequenos plantios.

Transplante parcial

É semelhante ao método anterior, utilizando-se, neste caso, propágulos constituído por partes de colmos, raízes e rizomas. Para as espécies alastrantes, normalmente, utilizam-se partes de colmos providos com um ou dois ramos com folhas. No caso das espécies entouceirantes, utilizam-se as partes basais dos colmos providas com uma a três gemas primárias. É um método menos eficiente do que o anterior, sendo, também, indicado para pequenos plantios.

Por pedaços de rizoma

Neste método, os propágulos são constituídos por pedaços de rizomas com raízes. É um método mais indicado para as espécies alastrantes, em decorrência das características mais favoráveis dessas espécies, que apresentam rizomas longos e em maior quantidade. É um método relativamente pouco estudado e utilizado.

Por pedaços de colmo

Os propágulos  são constituídos por segmentos de colmos, contendo uma ou mais gemas primárias brotadas (presença de ramos) ou não brotadas (gemas solitárias). Este método é específico para as espécies entouceirantes. O potencial de enraizamento dos propágulos depende da espécie e de outros fatores relacionados com a planta e às condições de enraizamento. Para as espécies com espessas paredes nos colmos (Bambusa vulgaris, Bambusa vulgaris var. vittata, Dendrocalamus giganteus, etc.), os níveis de enraizamento dos propágulos variam de 20 a quase 100%. Nas espécies com colmos de paredes finas, especificamente para a espécie Bambusa tuldoides, o nível de enraizamento dos propágulos tem sido praticamente nulo.

Sowing Instructions

Propagation:

Seeds

Pretreat:

0

Stratification:

0

Sowing Time:

all year round

Sowing Depth:

Needs Light to germinate! Just sprinkle on the surface of the substrate + gently press

Sowing Mix:

Coir or sowing mix + sand or perlite

Germination temperature:

25-30°C

Location:

bright + keep constantly moist not wet

Germination Time:

1 - 8 weeks

Watering:

Water regularly during the growing season

 


Copyright © 2012 Seeds Gallery - Saatgut Galerie - Galerija semena. All Rights Reserved.

B 5
90 Itens

Referências específicas

USDA Hardiness zone

Specials products

related Products